SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

Após celebrar a marca de um ano sem registros de roubos a banco na modalidade "Novo Cangaço", a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), através da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), juntamente com a Polícia Civil do Pará, promovem até quarta-feira (15), o I Workshop para enfrentamento às ações criminosas a instituições bancárias e transportadoras de valores no Pará. 

Idealizada em 2019, a capacitação é voltada para profissionais dos órgãos do Sistema Integrado de Segurança Pública e Defesa Social (Sieds) com objetivo de ser uma troca de informações entre as agências, além de propor ações mais sólidas do sistema em resposta a esses eventos.

A instrução iniciou nesta terça-feira (14), no auditório da Delegacia Geral, em Belém, com participação de cerca de 60 profissionais, além de representante de instituições bancárias. Durante a qualificação, o secretário de Estado de Segurança Pública, Ualame Machado, destacou a integração entre os órgãos estaduais de segurança, além das instituições vítimas dessa modalidade, para a obtenção dos resultados recentes.

O gestor, reforça ainda que, apesar da boa fase, a Segup e demais órgãos estão atentos às ações preventivas. “A resposta que é dada é primordial para esse dado que conquistamos, mas é necessário capacitar para prevenir que esse crime não ocorra. Esperamos que haja a criação de protocolos e a interação das forças com as instituições do ramo para troca de informações nesse processo de prevenção”, pontuou Ualame.

Plano Estratégico e Comitê Estratégico

Ao final dos dois dias de instrução, o workshop propõe a criação de um plano estratégico com protocolos definidos em uma resposta rápida a esses eventos, além ainda da criação de um comitê responsável pelo monitoramento contínuo de tendências, identificar ameaças, elencar investimentos e promover qualificações dos órgãos.

“Com o comitê o intuito é que ele seja permanente, que ele reúna especialistas para fazer uma leitura do fenômeno de crimes contra instituições bancárias independe da modalidade. Esse comitê deve trabalhar as informações e levar ao SIEDS um embasamento técnico para que decisões possam ser tomadas de maneira que facilite o trabalho no enfrentamento a esse tipo de crime”, ressalta o secretário adjunto da Siac, delegado André Costa. 

Participam do I Workshop profissionais da Polícia Militar, Polícia Civil, Exército Brasileiro, Centro de Perícias Científica Renato Chaves, Polícia Rodoviária Federal, além das empresas de transporte de valores e instituições bancárias. 

Por André Macedo (Ascom/Segup)

 

Veja Também