SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

O projeto já passou por 11 Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps), com o foco de aprimorar as ações e procedimentos institucionais

Com o objetivo de descentralizar as ações e propor medidas, de acordo com cada Região Integrada de Segurança Pública (Risp), o projeto "Segurança Por Todo o Pará", capitaneado pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), foi apresentado nesta segunda-feira (13), no município de Soure, sede da 5ª Risp, no arquipélago do Marajó. 

No auditório Ernani Chaves, do pólo da Universidade Federal do Pará (UFPA), foram abordados os pontos principais do projeto, para os profissionais de segurança pública locais. A ação, incluindo Soure, já percorreu 12 das 15 Risps do Estado. Com a proposta de integração, a iniciativa leva as práticas exitosas na Região Metropolitana de Belém para o interior, considerando as peculiaridades regionais de cada Risp, além da participação dos efetivos e gestores, respectivoa. 

"Com o projeto, queremos ir até os locais para conversar com os gestores locais e com todos do sistema além da tropa, que trabalha naquela região. Por isso, temos aqui todos os municípios que compõem a 5ª Risp", explicou o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado.

Durante a apresentação, Ualame enfatizou a necessidade de fazer os gestores maiores de cada órgão do Sieds se fazerem presentes, ouvindo as demandas que só as equipes locais conhecem."Nas oficinas que teremos, à tarde, vamos mostrar os dados e as demandas específicas da região, como aqui, por exemplo, no Marajó Oriental, é a questão do abigeato, que é o roubo de gado. Muita coisa serve como padrão, mas toda regionalidade deve ser levada em conta e desejamos que vocês falem nas oficinas", ressaltou o gestor. 

Comitê Integrado de Segurança Pública

Durante o evento, foi instalado o Comitê Integrado de Segurança Pública e Defesa Social (Cisped – Marajó Oriental), órgão colegiado pelas forças de segurança locais de atuação permanente e responsável, ainda, por realizar diagnósticos e promover a efetivação do plano tático regional, fruto das oficinas que a Segup realizou pós-apresentação do programa.

“A integração que ocorre de forma pessoal, mas também seja oficial para que as instituições conversem entre si para tomada de decisões operacionais. Servirá para que toda decisão que chegue até a Segup por meio deste grupo, tenha um maior embasamento. As informações existem e a integração funciona para melhor distribuí-la entre as instituições”, pontuou o secretário. 

Presente na apresentação e um dos integrantes das oficias ocorridas pela tarde, o Tenente-Coronel PM Leomar Aviz, comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar sediado em Soure, acentua a atenção com a gestão integrada por parte do governo do Estado na área da segurança pública. 

O militar avalia que, com o programa apresentado, os resultados devem ser os melhores. “Esperamos que com esse programa e com os recursos que estão sendo entregues pelo governo, e, ainda, com a discussão das ações identificando os problemas, com certeza esperamos com isso ter melhores resultados na segurança pública agora em 2022 aqui no Marajó Oriental”, comentou o tenente-coronel.

Participaram também do lançamento do projeto na região, o secretário adjunto de administração penitenciária, coronel Arthur Moraes; o coordenador de operações do Detran, Ivan Feitosa; o comandante operacional do Corpo de Bombeiros, coronel Silva Junior, representando o comandante-geral do Corpo de Bombeiros; o Delegada-Geral da Polícia Civil, delegado Walter Resende;  o Chefe do Estado Maior da Polícia Militar, coronel Marcelo Ronald de Souza, representando o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Dilson Júnior; e o coordenador das Unidades Regionais do Centro de Perícias Renato Chaves, Francisco Santos, representando o diretor do CPCRC.

Por André Macedo (Ascom/Segup)

 

Veja Também