SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

Perturbação da tranquilidade com poluição sonora lidera o ranking das principais ocorrências, entre outros registros como a violência doméstica

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) divulgou, na terça-feira (7), o balanço das ocorrências registradas nos 11 meses de 2021 no Centro Integrado de Operações (Ciop), vinculado à Segup. Foram 839.390 chamadas na Região Metropolitana de Belém, de janeiro a novembro. Entre as principais ocorrências estão perturbação da tranquilidade/poluição sonora (40,4%), seguida de desobediência (8,6%), ameaça (5,3%), violência doméstica (4,1%) e mediação de conflito (3,6%).

Do total de chamadas recebidas, 82,4% (692.158) foram atendidas – uma média de 62 mil ligações por mês, e mais de 2 mil ligações por dia para a central 190. Destas chamadas atendidas, foram registradas248.782 (35,9%) ocorrências geradas, que são despachadas às viaturas para atendimento.

Ampliação - O diretor do Centro Integrado, coronel Francisco Nóbrega, ressalta que, com o novo prédio, entregue pelo governo do Estado em novembro passado, o Ciop expandiu as cabines de atendimento individual, facilitando o atendimento das ocorrências e auxiliando, principalmente, as iniciativas do Sistema de Segurança do Estado. “Temos operações da Secretaria de Segurança Pública integradas com a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Departamento de Trânsito e Guardas Municipais, para combate destas ocorrências. Hoje, o Centro já conta com coordenadores dos órgãos para agilizar o atendimento dentro do Ciop junto com nossos despachantes das viaturas”, informa o gestor.

Das chamadas atendidas, 33.027 foram ligações falsas, popularmente conhecidas por trotes. De acordo com levantamento interno do órgão, de janeiro a novembro, o Ciop registrou uma média de 3 mil trotes por mês, o que dá uma média de quase 100 ligações falsas diariamente para a central 190. Apesar dos números, em comparação a 2020, no mesmo período, houve uma redução de mais da metade nesse tipo de ligação (-53,8%).

Para o combate a esta prática, o Centro já conta com uma importante ferramenta dentro do sistema Sinesp/CAD. “Hoje, nós conseguimos bloquear aquele número que já está caracterizado como trote por uma hora. Bloqueando esse número, abrimos o canal de comunicação para outro usuário que realmente precise, para que outro cidadão possa acionar o Ciop através do 190 e 193”, diz o diretor.

Videomonitoramento - A Segup, por meio do Ciop, também registra ocorrências provenientes do serviço de videomonitoramento, que atualmente trabalha com 249 câmeras, distribuídas estrategicamente por 28 bairros da Região Metropolitana de Belém (RMB), incluindo os distritos de Icoaraci, Ilha de Mosqueiro e Outeiro. As imagens também podem subsidiar processos e procedimentos investigatórios.

Além da RMB, o videomonitoramento é feito no interior do Pará, com 106 câmeras distribuídas pelos municípios de Capanema, Castanhal, Salinópolis, Santarém, Breves e Marabá. Ainda há monitoramento de câmeras em Altamira - em parceria com a empresa de energia elétrica - e Paragominas - em parceria com a prefeitura. No interior, o serviço de videomonitoramento é realizado pelos Núcleos Regionais, sob a supervisão da Coordenação de Núcleos Regionais do Ciop.

Ações coordenadas - Na Região Metropolitana de Belém foram registradas 1.797 ocorrências pelo videomonitoramento, o que tem sido decisivo para operações e ações coordenadas. Dentre as principais ocorrências estão: pessoas com mandado de prisão expedido (48,1%), foragidos (19,8%), veículo roubados (15,6%), veículos furtados (6,2%) e acidentes de trânsito (2,8%).

O videomonitoramento não tem somente contribuído para a prisão de pessoas envolvidas em algum delito, como tem contribuído para o acompanhamento das operações desencadeadas pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

“Recebemos um vídeo All de última geração, e nele temos o sistema córtex, o sistema nacional de banco de dados. A esse sistema vinculamos os dados do procurado ou de quem estiver com mandado de prisão em aberto”, destaca o diretor do Ciop.

O funcionamento do Centro Integrado ocorre de forma ininterrupta, nos sete dias da semana, nas 24 horas, com o serviço de militares estaduais e funcionários civis, que trabalham em escalas e turnos de seis horas por dia, em ambiente de acesso restrito.

O Ciop está presente na Região Metropolitana de Belém e no interior por meio dos Núcleos Integrados de Operações (Niops).

Por André Macedo (Ascom/Segup)

 

Veja Também