SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br
 

Ação integrada visa coibir a prática criminosa nos rios e furos da região.

Deflagrada e coordenada pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), através do Grupamento Fluvial (GFlu), vinculado à Secretaria, a operação “Inundata” alcançou na última semana, o seu décimo dia de atividade e já resultou na prisão de sete pessoas, além da apreensão de material contrabandeado, equipamentos usados para desmatamento ilegal e no cumprimento de mandados de prisão.

Situado na extremidade norte ocidental do Arquipélago do Marajó e distante 320 km de Belém, o município de Afuá está próximo à capital do Amapá, com uma grande malha hidrográfica que facilita o trânsito de criminosos entre as cidades, praticando delitos fluviais, além de outros crimes como o desmatamento.

Nesse sentido, a operação objetiva reforçar as ações preventivas do sistema de segurança pública na região, juntamente com outras agências públicas, para reprimir e coibir a prática de roubos, tráfico de drogas e armas, além de outras atividades ilícitas, fomentando a paz social e a tranquilidade pública.

 

Ações

Diversas ações estão sendo desencadeadas nos rios como abordagens a embarcações, residências ribeirinhas e investigações, todas desenvolvidas em conjunto com os policiais locais que detém as informações específicas da área, ressalta o diretor do Grupamento Fluvial, delegado Arthur Braga.

Para o diretor nesse período, a operação tem sido positiva no que diz respeito às prisões e à integração entre as agências juntamente com a estrutura disponível para execução do trabalho. 

“É importante ressaltar que na área fluvial, quando se prende uma pessoa, o resultado é muito positivo, porque previne o cometimento de diversos delitos. Há a dificuldade na realização das prisões uma vez que esses criminosos sabem da presença da polícia na área e procuram se esconder. Nesse sentido, as lanchas blindadas têm dado suporte muito grande tendo em vista que conseguem navegar pelos diversos tipos de marés que se apresentam, além encurtar as distâncias enormes, tanto relacionadas aos municípios vizinhos que fazem a divisa, como o Estado do Amapá” pontuou.

 

Produtividade

Até o momento já foram efetuadas sete prisões. Na quarta-feira (01), em diligências as equipes lograram êxito no cumprimento de dois mandados de prisão pelo crime de homicídio qualificado e outro pelo estupro de vulnerável. Ainda no mesmo dia, em ação com apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente para averiguação de denúncia de desmatamento em área de preservação, houve a prisão de três pessoas com apreensão da carga e duas motosserras.

No dia seguinte (02), a sexta pessoa foi presa no momento que equipes realizavam diligência em uma embarcação e constataram um invólucro de substância entorpecente semelhante à maconha e duas porções de substância derivada da cocaína que seria transportada ao rio Bacuri, na cidade paraense de Chaves. A carga estava escondida em uma caixa de sapatos na posse da pessoa que foi presa.  

Na madrugada da última sexta-feira (03), durante incursões nas adjacências no furo de Jurupari, na vila Santa Júlia, para apurar informações sobre um suposto local utilizado para confecção de armas caseiras. No local foram encontrados apetrechos para fabricação de armas como canos e armas, material este que foi apreendido.

Outra apreensão, ocorrida no sábado (04), obteve êxito também através do trabalho em conjunto das agências. Através de denúncia anônima, as equipes foram informadas de uma residência que seria utilizada para armazenar carga contrabandeada. No local foram encontradas 642 caixas de cigarro das marcas de cigarro “Silver Elephant” e “Marshall”, com valor estimado pela Receita Federal em R$ 3 milhões. 

À Prefeitura local foi solicitado apoio para destinar as cargas para armazenamento e para posteriores procedimentos legais e início das investigações.

Na quarta-feira (08), em mais uma etapa da operação, durante diligências para cumprimento de mandados, as equipes efetuaram a prisão de um homem pelo crime de violência doméstica. O acusado foi encaminhado para a Delegacia de Polícia de Afuá para procedimentos.

 

Operação ‘Inundata’ 

A operação, que transcorreu em furos e rios da região hidrográfica de Afuá, contou com efetivo de 26 agentes de segurança pública e o emprego de cinco embarcações: três delas recentemente entregues pelo Governo do Estado e destas, duas totalmente blindadas, a embarcação base ‘André Luiz’, utilizada para agilizar o levantamento de informações e procedimentos policiais, e uma embarcação do policiamento da região. 

Além de agentes do GFlu, integram a operação “Inundata” os profissionais da Delegacia de Polícia do Interior (DPI) - Superintendência Regional do Marajó Ocidental (SRMO), vinculadas à Delegacia Geral de Polícia, a Delegacia de Polícia Fluvial (DPFlu), vinculada à Diretoria de Polícia Especializada (DPE), delegacias de Chaves e Afuá, o Comando de Policiamento Regional XII, Companhia Independente de Polícia Fluvial (CIPFLU), 32ª Companhia Independente de Polícia Militar (32ª CIPM), Batalhão de Ação com Cães (BAC) e o Grupamento Tático Operacional (GTO), esses últimos geridos por meio da Polícia Militar, e com apoio do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), também vinculado à Segup.

Texto: André Macedo