Início » Segup apresenta indicadores de redução da violência na Assembleia Legislativa

Segup apresenta indicadores de redução da violência na Assembleia Legislativa

O balanço sobre a redução da violência foi apresentado por gestores dos órgãos integrados de segurança pública à Comissão de Segurança da Alepa

 

Os gestores dos órgãos integrados de segurança pública apresentaram na tarde desta quarta-feira (13), na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), as ações dos dois primeiros meses do Governo Helder Barbalho na área de segurança pública, que neste período já resultaram na redução de crimes violentos no Pará. O titular da Segup, Ualame Machado, apresentou os números aos deputados Toni Cunha, presidente da Comissão de Segurança, e Delegado Caveira, vice-presidente; e aos demais membros, deputados Nilton Neves, Miro Sanova, Michele Begot, Paula Gomes; o deputado Francisco Melo Filho (Chicão), líder do governo na Alepa, e o deputado convidado Eliel Faustino.

O secretário Ualame Machado apresentou os dados de homicídios, com redução de 31% em janeiro e 24% em fevereiro, o índice mais significativo de fevereiro desde 2010. Nos casos de roubos, houve redução de 35%, com 3.264 casos a menos, o que também é a melhor taxa se comparados todos os meses de fevereiro, desde 2010.

Ualame Machado afirmou que os números são um indicativo do que ainda será feito na segurança. "Não nos alegra quando há qualquer homicídio ou roubo. Porém, o que nos entusiasma é o fato de que nós estamos diminuindo a cada mês esses índices, e a população deve começar a sentir essa redução com as próximas ações", afirmou.

Os números de roubos a transeuntes também caíram 40% em todo o Pará, e os dados de roubos a veículos diminuíram 63%. Sobre essa modalidade de crime, o delegado-geral de Polícia Civil, Alberto Teixeira, informou que as reduções resultam das ações investigativas que vêm sendo deflagradas.

O presidente da Comissão de Segurança, deputado Toni Cunha, ressaltou o trabalho apresentado na reunião pelo gestor da Segup, enquanto as deputadas Paula Gomes, Michele Begot e Marinor Brito destacaram a importância de a população se sentir segura com essas medidas. Segundo Ualame Machado, a segurança deve ser ampliada com a implantação dos territórios de pacificação, a partir do final de março.

Sistema penitenciário - O secretário Extraordinário de Assuntos Penitenciários, Jarbas Vasconcelos, destacou as ações para ampliar o número de vagas no sistema penitenciário, e com isso reduzir os excedentes e as fugas. "O que falta no Brasil é a aplicação da Lei de Execuções Penais. Nós não queremos inventar a roda; queremos organizar e melhorar a administração do sistema penitenciário impondo disciplina, garantindo direitos e exigindo deveres. Todos os dias entramos em uma unidade prisional, e isso tem feito com que a gente evitasse muitas fugas. O número de fugas caiu e o de recaptura aumentou", disse Jarbas Vasconcelos.

O deputado Chicão também frisou a importância do trabalho transversal desenvolvido pelo governo nas áreas sociais, para o êxito das ações ostensivas. "Um exemplo é a Terra Firme (bairro de Belém), onde os poucos equipamentos públicos que existem foram deixados sucateados", apontou o deputado.