SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

Grupamento Aéreo de Segurança Pública já soma mais de 600 horas em apoio logístico.

O estado do Pará, segundo maior estado da federação, possui dimensões continentais e, para vencer essas barreiras na distribuição de vacinas no interior, a colaboração conjunta é importante. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), através do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), tem contribuído com o esquema logístico dos imunizantes e desde janeiro deste ano até julho já soma mais 600 horas voadas nesta operação humanitária.

Nos primeiros sete meses de 2021, o Graesp já realizou 444 missões de transporte de vacinas contra Covid-19. Com a frota de aeronaves, entre aviões e helicópteros, já foram 602h34m de horas voadas para levar esperança de dias melhores a todos os paraenses no interior. Alcançar essa marca, para se ter uma noção, representa 25 dias ininterruptos de missão aérea sem pousar.

 

Distribuição

Antes mesmo do início da campanha nacional de imunização, a distribuição da vacina de forma rápida e com segurança era uma preocupação das autoridades em nível nacional. O principal ponto do abastecimento das vacinas, assim que os lotes chegam do Ministério da Saúde (MS), se concentra nos rigorosos protocolos de manuseio, armazenamento, transporte e distribuição, pois o risco de perder a capacidade imunogênica são grandes.

Na maioria dos 144 municípios paraenses, o acesso acontece por vias terrestre e fluvial, que demanda algum tempo, o que tornaria lenta a vacinação da população, com risco de perdas de lotes. Com o empenho das aeronaves do Graesp, o transporte acontece em menos de 24 horas para as regiões e sub-regiões do Estado. 

No último dia 31, este trabalho levou o Pará a alcançar 5 milhões de doses de vacina contra Covid-19, fruto deste empenho conjunto, como reforça o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado. 

“Nós nos propusemos a fazer com que a vacinação fosse o mais rápido possível em nosso estado. Todas as forças de segurança têm sido fundamentais para isso. Na escolta, no transporte das vacinas, nos rios, pelos ares, pela terra, temos o compromisso de todas as vezes que chegam remessas de vacina, em até 24h, entregarmos em cada município do estado para que a vacinação transcorra dentro da normalidade”, destaca.

 

Logística

Apoio logístico é primordial para avanço da vacinação, e a operação com as vacinas enviadas pelo MS é conduzida pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em parceria com a Segup. Após a chegada dos lotes, as equipes de saúde iniciam o preparo para envio aos 13 Centros Regionais de Saúde.

Além do apoio aéreo, a Segup também atua na entrega de vacinas com apoio do Grupamento Fluvial (GFlu), por meio de lanchas para comunidades ribeirinhas em que o acesso ocorre através dos rios.  

Em todos os transportes terrestres, a Polícia Militar também escolta os caminhões com câmara fria, visto que a carga possui grande valor. 

“O sucesso no andamento da campanha de vacinação contra Covid-19 no Estado também se deve à parceria entre a Sespa e a Segup para a distribuição das doses. A distribuição precisa ser rápida, especialmente para atender as populações mais distantes e para chegar nessas localidades a Segup contribui não só o Graesp como transporte aéreo, mas também utiliza o transporte fluvial que ocorre nas localidades ribeirinhas, e com a escolta policial realizada pela Polícia Militar. Esse trabalho é fundamental na nossa estratégia de combate à pandemia”, falou o secretário de saúde do Estado, Rômulo Rodovalho.

 

Desafios

Desde o início da pandemia, o Graesp tem realizado diversas missões que englobam o transporte aéreo de pacientes acometidos pela Covid-19, transporte de equipamentos para tratamentos específicos, além, é claro, da distribuição de imunizantes em locais de difícil acesso. A essência de todas essas missões une-se com a do Graesp: salvar vidas. 

De março de 2020, considerado o início da pandemia no Pará, até julho passado, já foram realizadas cerca de 767 missões que totalizam 1.421h e reúne cerca de 42 profissionais, entre pilotos e equipe de manutenção. Com esse tempo de voo seria possível, por exemplo, realizar 74 vezes o voo comercial mais longo do mundo atualmente. Trata-se da ponte aérea entre Nova York (EUA) e Cingapura (China), que possui quase 19h de duração.

O grande desafio das missões desde o início continua sendo o clima amazônico, marcado por períodos de chuva intensa.  

“O que nos impede de prosseguir com as missões de deslocamento entre os municípios são as chuvas. Nosso estado está numa região que possui tempo chuvoso e isso dificulta por conta da imprevisibilidade”, destaca o diretor do Graesp, coronel Armando Gonçalves.

Com larga experiência em missões de segurança pública, transporte de autoridades, transporte de tropa e missões de reforço aeromédico, o transporte de vacinas é considerado missão inédita dentro do leque de atuação do grupamento aéreo. Segundo o Regulamento Brasileiro de Aviação Civil nº 90 (RBAC 90), a operação logística enquadra-se em missões de misericórdia, que destacam aquelas que visam oferecer o apoio necessário aos casos especializados e/ou urgentes, especialmente às populações interioranas, mais carentes de recursos.

“Essas missões levam à tripulação, pilotos e tripulantes, um sentimento de dever cumprido em poder ajudar o próximo. Levamos vacinas para todos os municípios, principalmente àqueles que ficam no Marajó e na Calha Norte que sempre são os mais afetados. Em alguns, por exemplo, o acesso acontece apenas por helicóptero, já que não possuem pista de pouso para avião. Então, o Graesp vem contribuindo de forma a acelerar a chegada das vacinas e que a imunização atenda a todos”, destacou.

Texto: André Macedo/Ascom Segup

 

Veja Também