SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

Vinte pessoas foram vítimas do criminoso, que oferecia facilitação na compra de residências junto a um programa do Governo Federal.

A Polícia Civil do Pará, por meio da Delegacia de Estelionato e Outras Fraudes (DEOF), vinculada à Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), deu cumprimento aos mandados de prisão preventiva e busca e apreensão contra um suspeito pelos crimes de estelionato e exercício irregular da profissão. O investigado se apresentava como corretor de imóveis e correspondente de uma agência bancária oferecendo facilitação na aquisição de imóveis junto a um projeto do Governo Federal. Até o momento, aproximadamente 20 pessoas foram vítimas do golpe. 

O golpista foi preso nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (19), no bairro do Bengui. De acordo com as investigações, o homem se preparava para mudar de endereço.  O criminoso se apresentava às vítimas oferecendo a opção de financiamento com uma parcela inicial entre R$500,00 e R$7.000,00, e acreditando na realização de um sonho, as pessoas pagavam os valores solicitados. 

Os recebimentos dos valores ocorriam em espécie ou por meio de contas bancárias de pessoas próximas ao investigado, as quais não tinham participação no crime. Durante a falsa aquisição, as vítimas não recebiam qualquer comprovante de pagamento, apenas preenchiam um documento com a logomarca de uma agência bancária e após a assinatura, ficavam aguardando contato para a entrega do imóvel, o que não ocorria. 

Segundo o titular da Delegacia de Estelionato e Outras Fraudes, delegado Fernando Marcolino, com a finalidade de não deixar rastro de suas ações, o investigado não permitia que as vítimas ficassem com cópia do documento preenchido. 

"O homem apresentava-se sempre solícito e atencioso para com as pessoas, o que lhe fez convencer os parentes de um anterior relacionamento seu a fornecer contas bancárias para receber os pagamentos das vítimas. Uma destas pessoas, inclusive, figura como vítima do investigado", afirmou o titular da DEOF, delegado Marcolino.

Denúncias 

Ao perceberam que haviam sido vítimas de um golpe, cerca de 20 vítimas procuraram a Delegacia Especializada, registrando suas ocorrências e representando criminalmente contra o golpista. A polícia iniciou o trabalho investigativo e, sabendo que o delito continuava sendo praticado, com a finalidade de resguardar o interesse público foi representado por sua prisão preventiva e busca e apreensão com o objetivo de colher mais elementos de prova.

Após a prisão, o homem foi conduzido à Divisão Especializada para procedimentos cabíveis e posteriormente será encaminhado ao sistema penitenciário. Ele responderá pelos crimes de roubo mediante fraude.

"Nosso objetivo com esta ação é de continuar intensificando o combate a crimes de estelionato em todo o estado", concluiu o delegado Marcolino.

Por Roberta Meireles (PC)

 

Veja Também