SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

Curso 'Entrada Tática em Ambiente Confinado, Retenção e Contra-Retenção de Armamento' é coordenado pela Academia de Polícia Civil (Acadepol), com a Core

A Polícia Civil do Pará iniciou, nesta segunda-feira (13), o Curso “Entrada Tática em Ambiente Confinado, Retenção e Contra-Retenção de Armamento”, coordenado pela Academia de Polícia Civil (Acadepol), com a parceria da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), no auditório Ione Coelho, na Delegacia Geral do Pará, em Belém.

O evento contou com as presenças do delegado-geral da Polícia Civil, Walter Resende; do secretário de Administração Penitenciária do Pará (Seap), Jarbas Vasconcelos; do coronel PM Sérgio Neves e do coordenador da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), delegado, Ricardo do Rosário.

O treinamento tem como objetivo capacitar os policiais e suas equipes no procedimento de condutas de entrada tática em ambiente confinado de alto risco, permitindo-lhe observar possíveis ameaças e como se portar diante delas. A intenção é de que os agentes aprimorem as técnicas em incursões deste tipo de situação. A capacitação teve como instrutores, Paulo Brandão, Lincon Takano e Igor Lopes, da Divisão de Operações Especiais da Polícia Civil do Distrito Federal (DF).

Além dos agentes das Polícias Civil e Militar do Estado do Pará, a exemplo de agentes da Core, Bope e Graesp; o treinamento contou com a presença de representantes de órgãos da Segurança Pública do Brasil, tais como da Polícia Civil do Amapá (Delegacia de Capturas), Polícia Civil de Santa Catarina (Core) e da Polícia Federal (GPI/Pa e Altamira/Pa). Ao total, somam-se vinte e quatro pessoas que fortalecerão seus conhecimentos e técnicas para pôr em prática em suas devidas lotações.

O delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Walter Resende, ressaltou a importância e acessibilidade do evento. “Certamente que esta iniciativa, tanto da Core quanto da Acadepol, é mais um ato que a Polícia Civil do Pará celebra, visando, acima de tudo, aprimorar as nossas atividades e qualificar os nossos servidores. Este curso não é restrito à nossa instituição, pois está aberto a todos os órgãos de segurança, e acessível também a policiais de outros Estados. Agradeço aos superiores que permitiram a vinda dos instrutores e alunos ao Pará, para serem parte desse momento oportuno, adquirindo conhecimentos específicos, de grande importância, frisou Resende.

Secretário de Administração Penitenciária do Pará (Seap), Jarbas Vasconcelos enfatizou a atuação da Core e o apoio de policiais da Seap e das demais instituições. “As capacitações, onde a Coordenadoria está em parceria, possuem uma dinâmica impressionante de ação, de treino e de operação, e estas qualidades fazem a Core, hoje, uma das mais importantes Forças Especiais que nós temos no Estado do Pará, com a qual a segurança pública pode contar. Nós, da Secretaria de Administração Penitenciária do Pará, ficamos muito alegres por eventos como este, pois a todo momento, estamos contando com o auxílio destes agentes, atuando em conjunto em prol de ações que defendam a seguridade social”, adirmou o titular da Seap.

O coordenador da Core, delegado Ricardo do Rosário, enfatizou a relevância da presença dos professores no Pará. “Este treinamento é de suma importância para nós, pois 90% das operações são em ambiente confinado, por isso queríamos trazer os melhores do Brasil nesta matéria. Em 2019, nosso primeiro Curso de Operações Táticas Especiais (Cote), os alunos foram até ao Distrito Federal para receber o treinamento. Hoje, temos a oportunidade de trazer eles até nós. Agradeço aos instrutores pela disponibilidade de se encaminharem até o nosso Estado e nos dar a honra dos conhecimentos adquiridos, não só pelas técnicas, mas por cada experiência de vida”.

As aulas têm tópicos sobre abertura de porta e varredura primária; adentramentos táticos; conduta como ameaças cooperativas e não cooperativas; critério de prioridades de ameaças; deslocamento e aproximação do alvo; estabelecimento de links; formas de arrombamento e meios empregados.

Também constam Planejamento e ordens operacionais; Progressão dentro do aparelho (Veio Principal e Alternativo); Rescaldo e retirada do aparelho dominado; Retenção e contra-retenção de armamento em caso de ataque fortuito; Varredura sSecundária e distribuição de ameaças.

Os treinamentos teóricos são ministrados desta segunda-feira (13) a sexta-feira (17), na Academia de Polícia Civil do Estado do Pará (Acadepol); as aulas práticas são no Batalhão de Operações Especiais (Bope). *Texto de Rafaela Silva (PCPA).

Por Evaldo Júnior (PC)

 

Veja Também