SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

Após nove meses do choque operacional, moradores do bairro voltam a ter acesso à emissão de documentos e serviços de saúde

O Programa Territórios pela Paz (TerPaz) mostra, cada vez mais, sua eficácia ao longo do desenvolvimento de inúmeras ações. O Terpaz está presente em sete bairros da Região Metropolitana de Belém, monitorando de forma constante as ações e os resultados. No bairro do Jurunas, em Belém, as operações policiais retornaram após nove meses do choque operacional, primeira fase do Programa, para reforçar as ações e ajudar a diminuir as ocorrências criminais.

Por meio da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), o trabalho das forças policiais integradas foi potencializado no período de 14 a 30 de agosto. A Polícia Militar desenvolveu as operações Alvorada, Cavalo de Tróia, Duas Rodas, Impactum, Retorno, Saturação I e II e Sentinela. Foram abordados 265 estabelecimentos, e destes 100 acabaram fechados e 133 notificados. Foram apreendidos 123 papelotes de maconha e 20 papelotes de cocaína, enquanto o Departamento de Trânsito (Detran) autuou 955 condutores.

“Entramos com as forças policiais de forma repressiva e ostensiva por 15 dias consecutivos, e a partir de então mantemos o monitoramento da área com as rondas efetivas e cumprimentos de mandados. Nossos esforços são direcionados para garantir a área permanentemente estabilizada, para que as ações sociais possam acontecer dentro da tranquilidade e segurança que a comunidade precisa, visando à construção de uma cultura de paz e, por consequência, reduzir as ações criminosas no bairro, objetivo central do programa do governo do Estado”, disse o responsável pela Secretaria de Gestão Operacional da Segup, coronel Alexandre Mascarenhas.

No balanço das ações, a Polícia Civil prendeu seis pessoas em flagrante; verificou 47 dossiês do Disque Denúncia; fiscalizou 86 locais e 40 veículos por indícios de poluição sonora e apreendeu 66 gramas de maconha, 22 gramas de cocaína e uma arma.

Continuidade - “Com essa retomada pretendemos dar continuidade às ações do TerPaz e manter, de forma contínua, as operações de repreensão nos territórios selecionados pelo Programa, para garantir a permanência das atividades e conseguir auxiliar no desenvolvimento das ações sociais. Nosso objetivo é diminuir, cada vez mais, a força repressiva e oferecer mais serviços sociais e iniciativas que permitam a paz social na comunidade”, destacou o coordenador do Eixo da Segurança Pública no TerPaz, Luciano de Oliveira.

A partir da diretriz de que não se faz segurança pública apenas com a força policial, o Estado investe em serviços sociais, considerados fundamentais no processo de manutenção da paz. O TerPaz proporciona qualificação profissional, geração de renda e garantia da cidadania. Após o período mais crítico da pandemia de Covid-19 no Estado, o Jurunas foi o primeiro bairro do Terpaz a ter de a volta os serviços oferecidos à população, de acordo com Delma Braga, diretora interina do Núcleo de Articulação da Cidadania, vinculado à Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac).

“A Secretaria de Articulação e Cidadania faz parte do Eixo Social que está de volta com as atividades aos poucos, em razão da pandemia. Estamos retornando com os serviços de saúde e retirada de documentação, iniciando pelo bairro do Jurunas, o primeiro selecionado para receber as ações sociais, justamente para coincidir com o choque operacional realizado pelas forças de segurança pública, que é fundamental para estabilizar a criminalidade local e abrir caminho para o desenvolvimento das ações sociais voltadas às comunidades", acrescentou Delma Braga.

Ostensividade – Com o monitoramento realizado pelos órgãos de inteligência, foram avaliados os números da criminalidade no bairro do Jurunas, primeiro dos sete territórios a retornar com as atividades do “Territórios Pela Paz”.

A partir de um mapeamento realizado pelos órgãos de segurança foi articulada uma força-tarefa, que já registrou redução nos crimes de homicídio e roubo no bairro. As ações de ostensividade iniciaram no último dia 14 de agosto, e seguiram permanentemente até o dia 30, com a entrada da emissão de documentos e do atendimento à saúde pela Seac.

Políticas sociais - O Programa Territórios pela Paz (TerPaz), lançado pelo Governo do Pará, visa combater a violência na Região Metropolitana de Belém, por meio da articulação de políticas sociais e de segurança, a fim de atingir as causas da criminalidade e da vulnerabilidade social, e não apenas seus efeitos.

A segurança pública foi um dos itens prioritários para a definição dos territórios: cinco bairros em Belém (Cabanagem, Terra Firme, Bengui, Guamá e Jurunas); um em Ananindeua (Icuí-Guajará) e um em Marituba (Nova União).

Números - Segundo dados da Secretaria de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Segup, de janeiro a 7 de setembro de 2020 os crimes violentos letais e intencionais (homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte) foram reduzidos, quando comparados com o mesmo período de 2019, em 20% no centro de Marituba; 28,57% no Icuí-Guajará; 6% no Jurunas;  50% na Cabanagem; 36,59% no Guamá e 64,29% na Terra Firme.

Quanto aos casos de roubos, levando em consideração o mesmo período, caíram em 46,44% no bairro do Jurunas; 21,46% na Terra Firme; 24,90% no Guamá; 15,48% na Cabanagem; 38,16% no Bengui; 32,49% no Icuí-Guajará e 48,58% no centro de Marituba.

Por Walena Lopes

 

Veja Também