SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

Onze integrantes foram capturados em ação das Polícias Civil dos estados do Pará e Ceará. Os presos, neste sábado, são apontados como os mentores do esquema.

As Polícias Civil do estados Pará e Ceará prenderam, neste sábado (11), outras três pessoas envolvidas no esquema criminoso que abriu falsas lotéricas em Belém e Ananindeua, na região metrotopolitana da capital paraense. As novas diligências foram deflagradas em Fortaleza e Aracati, na região de Canoa Quebrada, no Ceará. Um total de 11 integrantes já foram capturados em mais uma ação célere da PC-PA com apoio importante da PC-CE. Os homens presos, neste sábado, são apontados como os mentores do esquema, que prejudicou mais de 50 paraenses e rendeu prejuízo superior a R$ 500 mil. 

Essa foi a terceira fase da Operação Foco, deflagrada pela Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), por meio dos agentes da Delegacia de Estelionato e Outras Fraudes (DEOF), da PC-PA, que continuavam nas busca pelos líderes do grupo criminoso, obtendo dados com a Polícia Rodoviária Federal e trabalhando em conjunto com a Polícia Civil do Ceará. Na ação conjunta, descobriu-se que um dos alvos estava em uma pousada, no litoral cearense. Ele foi capturado e já possuía uma prisão preventiva, decretada pela Vara de Inquéritos de Belém.

Líder da associação - O homem que encabeçava o esquema foi preso hoje. De acordo com as investigações, ele é acusado de ter cometido outras fraudes contra empresas e bancos públicos nacionais. Em um dos crimes, ele utilizou documentos falsos para obter empréstimo de 100 mil reais.

No Pará, de acordo com o levantamento feito pela PC, o criminoso embolsou cerca de meio milhão de reais. Com todos os envolvidos presos e à disposição da Justiça, a partir de agora uma nova etapa se inicia para tentar recuperar os valores pagos por cidadãos paraenses em duas lotéricas clandestinas, criadas pelo grupo. 

Todos os suspeitos irão responder pelos crimes de dano qualificado, apropriação indébita, estelionato, associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso. A ação conjunta contou com o apoio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa do Ceará (DHPP); Diretoria de Polícia Civil do Interior Sul do Ceará e a Delegacia Municipal de Beberibe – Ceará.

Operação Foco - As investigações sobre o caso começaram há cerca de 30 dias, após a Polícia Civil identificar que dois espaços comerciais foram abertos de forma irregular, nos municípios de Belém e Ananindeua.

Os locais, que se assemelhavam a casas lotéricas, recebiam pagamento de boletos, mas os valores não eram compensados nos destinatários. Os espaços onde os golpes eram aplicados fecharam poucos dias após o início do funcionamento. Cerca de 50 pessoas foram vítimas da associação criminosa.

Um total de 40 policiais civis participaram do cumprimento dos mandados de prisão, busca e apreensão. Houve busca e apreensão em dois locais ligados aos envolvidos nos municípios cearenses de Fortaleza e Horizonte.

Por Evaldo Júnior (PC)

 

Veja Também